segunda-feira, 4 de janeiro de 2010


Não tenho pena desse salto inerte que me seduz
pelo ego
Esse mergulho profundo no ser é tão vazio quanto
o nada
Mas enquanto o nada do ser for a principal fonte
da busca
Por este vazio quero
me afundar...

Nenhum comentário: